Escolha uma Página

Por Honorina de Almeida, Dra. Nina

Pediatra, doutora em desenvolvimento infantil e especialista em aleitamento materno

 

Como amamentar duas crianças em idades diferentes? Entenda como funciona a amamentação em Tandem

 

O nome pode não parecer tão comum, mas a amamentação em Tandem não tem segredos. Essa “modalidade” corresponde à amamentação de duas ou mais crianças em idades diferentes, podendo acontecer no mesmo momento ou não.

Uma nova gestação enquanto a mulher ainda está no período de amamentação é recomendada pelas principais agências de saúde, incluindo a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), o Ministério da Saúde (MS) e pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Uma gestação durante o período de amamentação pode levar a um desmame pelo medo que possa provocar um trabalho de parto prematuro ou um aborto.

Como o assunto não é amplamente falado, muitas mães têm dúvidas se podem ou não amamentar seus dois – ou mais – filhos ao mesmo tempo. É por isso que vamos levar algumas informações em consideração, como a experiência de lactantes e a adaptação do corpo dessas mulheres.

 

A produção de leite na amamentação em Tandem

Maria Célia e amamentação em Tandem

Embora existam casos que levam ao desmame, o ideal é que a amamentação em Tandem continue sempre que possível. Nessas situações, o corpo da mulher identifica a necessidade de mais de uma criança mamar e acaba adaptando o leite materno para que o novo bebê fique protegido.

Dessa forma, o ideal é que a amamentação seja prioritária para o bebê mais novo, levando em conta que a criança mais velha pode estar recebendo uma outra fonte de alimentação. Então, para reforçar: a prioridade da amamentação é o bebê mais novo.

 

O que dizem as mães?

As estatísticas mostram que 70% das mulheres relataram uma diminuição na produção de leite. Segundo elas, as razões para continuar a amamentar em Tandem, geralmente, são a baixa idade do bebê mais velho e o desejo de que o desmame aconteça naturalmente.

Já entre as que decidem desmamar o mais velho, os motivos mais citados foram: a dor, a preocupação em não conseguir amamentar dois bebês, recomendação médica e até medo de abortar.

Uma pesquisa realizada pela “La Leche League”, uma ONG internacional que distribui informações e promove o aleitamento materno, mostrou que, entre mães que engravidaram enquanto amamentavam, somente 26% dos bebês desmamaram espontaneamente. Enquanto isso, 28% das mães desmamaram de forma ativa e as 46% restantes continuaram a amamentar.

 

O que podemos concluir, então?

Os estudos mostram que amamentar durante a gestação é completamente seguro. Que não implica em um maior risco de aborto ou de parto prematuro. E, também, a amamentação em Tandem, não prejudica o bebê mais novo, já que o corpo entende essa necessidade e faz “seus ajustes”.

No entanto, as mulheres que têm a possibilidade de amamentar mais de um filho ao mesmo tempo devem levar em consideração alguns fatores. Os de maior destaque são a dor física e seu desejo de continuar amamentando ou não. Outra dica que ela deve levar é a atenção na ingestão calórica, uma vez que precisa contemplar as necessidades da gestação e da amamentação.

Confira o depoimento de Maria Célia, uma mãe que optou pela amamentação em Tandem e compartilhou essa experiência com a gente. É só clicar aqui!

 

Dica: Se quiser conhecer um pouco mais sobre o assunto indico o livro “Adventures in Tandem Nursing: Breastfeeding During Pregnancy and Beyond ” de Hilary Flower, lançado em 2003.