Escolha uma Página

Por Tiemi Yoshida

Pediatra, especialista em Neonatologia e Terapia Intensiva Pediátrica

 

A hora dourada acontece imediatamente após o nascimento e traz benefícios a longo prazo

Também conhecido como Golden Hour, ou hora dourada, em português, o primeiro contato pele a pele entre a mãe e bebê é extremamente recomendado e cada vez mais comum no Brasil. Esse primeiro contato logo após o parto acontece com a colocação do bebê em posição ventral na altura do tórax ou ventre materno. Assim, ele fica, no colo da mãe, sentindo os primeiros contatos e podendo mamar pela primeira vez. E, dessa forma, fica até parar de mamar.

Esta prática é recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e, também, pelas diretrizes da Sociedade Brasileira de Pediatria. As evidências que temos para recomendar a hora dourada são bastante positivas. Elas apresentam muitos benefícios, tanto para o bebê, quanto para a mãe, o que nos dá mais segurança para essa indicação.

Vamos conferir, então, como os bebês e as mães são positivamente impactados com esse momento.

 

Benefícios da Golden Hour para o bebê

Esse primeiro contato pele a pele é ótimo para o bebê e, com ele, são inúmeras as vantagens para a saúde do recém-nascido. Algumas delas são:

  • Redução do estresse;
  • Promoção de melhor regulação da temperatura corporal;
  • Diminuição do choro;
  • Melhor adaptação cardiorrespiratória;
  • Maiores níveis de glicose sanguínea;
  • Colabora com o desenvolvimento da microbiota (micro-organismos do corpo humano que previnem a proliferação de bactérias perigosas).

 

Benefícios da Golden Hour para a mãe

Além do benefício emocional de ter o filho nos braços pela primeira vez, a prática dá várias outras vantagens físicas às mães. Por isso, também listamos as quatro situações já comprovadas que são resultados do momento skin to skin com seus bebês:

  • Expulsão mais rápida da placenta;
  • Diminuição de sangramento;
  • Diminuição do nível de estresse;
  • Maior sucesso no aleitamento materno exclusivo e no tempo de amamentação.

O vínculo entre mãe e filho

Voltando, então, a falar sobre resultados comprovados, encontramos pesquisas desenvolvidas que demonstram mais alguns pontos interessantes. O contato pele a pele somado aos níveis altos de ocitocina na mãe e de catecolaminas no bebê, durante a primeira hora após o nascimento, promovem um momento único para criar esse vínculo maternal, que é tão importante na relação com a criança. Isso ocorre, pois a mãe é atraída pelo cheiro do bebê, facilitando a comunicação química entre os dois. Enquanto isso, as catecolaminas fortalecem a memória do bebê em relação ao odor do colostro (leite do pós-parto) ao qual foi exposto.

A prática da Golden Hour é capaz de fazer o bebê apresentar 9 estágios instintivos:

  • Choro ao nascer;
  • Relaxamento;
  • Despertar;
  • Estágio ativo;
  • Estágio em repouso;
  • Familiarização;
  • Sucção;
  • Sono.

Entendemos, ainda, que esses 9 estágios ajudam no estímulo dos 5 sentidos do bebê (visão, audição, tato, paladar e olfato).

 

Nossas conclusões

Os primeiros momentos logo após o parto são únicos e são o período de maior sensibilidade do bebê e da mãe. É uma hora tão precisosa que, não à toa, chamamos essa prática de Golden Hour. E é por isso, afinal, que acreditamos que essa prática do contato pele a pele e a proteção desse período devem ser parte obrigatória nas rotinas hospitalares, sempre considerando os estudos realizados e os resultados obtidos em tantas pesquisas.

Caso queiram se aprofundar mais no tema, indico os artigos abaixo:

1. Moore ER, Bergman N, Anderson GC, Medley N. Early skin-to-skin contact for mothers and their healthy newborn infants. Cochrane Database Syst Ver. 2016 Nov 25;(11):CD003519.

2. Widstrom AM, Brimdyr K, Svensson K, Cadwell K, Nissen E. Skin-to-skin contact the first hour after birth, underlying implications and clinical practice. Acta Paediatr. 2019 Jul;108(7):1192-1204.